Deus, um itinerário é uma história das concepções de Deus que analisa o surgimento dos monoteísmos judaico e cristão para chegar até os dias atuais. O filósofo Régis Debray traça o surgimento da idéia de Deus desde a pré-história, passando pelos primórdios do judaísmo e do cristianismo, mostrando como a invenção da roda e o aparecimento da escrita, entre outros fatores, determinaram a fixação das religiões monoteístas.
O livro traz mais de duzentas imagens, e combina história, filosofia e psicologia, evidenciando as diferentes concepções do divino e oferecendo uma ampla visão da história dos homens e das idéias. Debray chega a conclusões originais sobre a natureza de diversas crenças. No caso do judaísmo, o filósofo sugere que a escrita foi o suporte concreto - difundida por meio de pergaminho, papiro e tinta - que conservou o conceito de um Deus único. Ao analisar o cristianismo, o autor crê que a sobrevivência de um só Deus foi causada sobretudo pela rígida estrutura hierárquica da Igreja.

 

Cia. das Letras - 440 pág. - brochura

DEUS, UM ITINERÁRIO - Material para a história do Eterno no Ocidente - Régis Debray

R$99,00 R$89,90
Frete grátis
DEUS, UM ITINERÁRIO - Material para a história do Eterno no Ocidente - Régis Debray R$89,90

Deus, um itinerário é uma história das concepções de Deus que analisa o surgimento dos monoteísmos judaico e cristão para chegar até os dias atuais. O filósofo Régis Debray traça o surgimento da idéia de Deus desde a pré-história, passando pelos primórdios do judaísmo e do cristianismo, mostrando como a invenção da roda e o aparecimento da escrita, entre outros fatores, determinaram a fixação das religiões monoteístas.
O livro traz mais de duzentas imagens, e combina história, filosofia e psicologia, evidenciando as diferentes concepções do divino e oferecendo uma ampla visão da história dos homens e das idéias. Debray chega a conclusões originais sobre a natureza de diversas crenças. No caso do judaísmo, o filósofo sugere que a escrita foi o suporte concreto - difundida por meio de pergaminho, papiro e tinta - que conservou o conceito de um Deus único. Ao analisar o cristianismo, o autor crê que a sobrevivência de um só Deus foi causada sobretudo pela rígida estrutura hierárquica da Igreja.

 

Cia. das Letras - 440 pág. - brochura