A quintessência do universo de Umberto Eco nesta coletânea em edição capa dura. 

Nos ombros dos gigantes representa um evento festivo para os leitores de Umberto Eco. Ao longo de quinze anos, longe das cátedras universitárias, dos congressos acadêmicos e das cerimônias honorárias, Eco escreveu estes textos para entreter os espectadores de La Milanesiana, festival criado e dirigido por Elisabetta Sgarbi ― um “laboratório de excelência” que entrelaça artes e saberes diversos, reunindo grandes nomes da cena internacional nos vários campos da cultura, como literatura, música, cinema, ciência, arte, filosofia e teatro. As raízes da nossa civilização, os cânones mutáveis da beleza, o falso que se torna verdadeiro e modifica o curso da história, a obsessão pela conspiração, os heróis emblemáticos da grande narrativa, as formas da arte, aforismos e paródias são alguns dos destaques deste livro.

Ed. Record - 444 pág. - capa dura

Umberto Eco nasceu em Alexandria, Itália, em 1932. Começou a cursar Direito na Universidade de Turim, mas logo decidiu dedicar-se à Filosofia, tendo se doutorado em 1954. Começou a trabalhar como editor de programas culturais na rede estatal italiana de televisão. Foi professor de Comunicação Visual e Semiótica. Detentor de inúmeros prêmios e títulos, Eco ficou conhecido como crítico, semiólogo, romancista e articulista. Propôs teorias estéticas e uma avaliação das vanguardas e dos impactos da sociedade globalizada e de informação na cultura humana. Entre suas obras ensaísticas destacam-se: Kant e o ornitorrinco (1997) e Sobre a literatura (2002). Entre suas coletâneas, ressaltam-se: Diário mínimo (1963) e O segundo diário mínimo (1990). Em 1980 estreou na ficção com O nome da rosa (Prêmio Strega 1981), que deu origem ao filme de mesmo nome. Em seguida vieram O pêndulo de Foucault (1988), Baudolino (2000), História da beleza (2004), História da feiúra (2007), entre outros. Faleceu em 19 de fevereiro de 2016.

NOS OMBROS DE GIGANTES - Umberto Eco

R$199,90
NOS OMBROS DE GIGANTES - Umberto Eco R$199,90
Sucesso! Você tem frete grátis
Frete grátis a partir de R$120,00
Entregas para o CEP:

Frete grátis a partir de R$120,00

A quintessência do universo de Umberto Eco nesta coletânea em edição capa dura. 

Nos ombros dos gigantes representa um evento festivo para os leitores de Umberto Eco. Ao longo de quinze anos, longe das cátedras universitárias, dos congressos acadêmicos e das cerimônias honorárias, Eco escreveu estes textos para entreter os espectadores de La Milanesiana, festival criado e dirigido por Elisabetta Sgarbi ― um “laboratório de excelência” que entrelaça artes e saberes diversos, reunindo grandes nomes da cena internacional nos vários campos da cultura, como literatura, música, cinema, ciência, arte, filosofia e teatro. As raízes da nossa civilização, os cânones mutáveis da beleza, o falso que se torna verdadeiro e modifica o curso da história, a obsessão pela conspiração, os heróis emblemáticos da grande narrativa, as formas da arte, aforismos e paródias são alguns dos destaques deste livro.

Ed. Record - 444 pág. - capa dura

Umberto Eco nasceu em Alexandria, Itália, em 1932. Começou a cursar Direito na Universidade de Turim, mas logo decidiu dedicar-se à Filosofia, tendo se doutorado em 1954. Começou a trabalhar como editor de programas culturais na rede estatal italiana de televisão. Foi professor de Comunicação Visual e Semiótica. Detentor de inúmeros prêmios e títulos, Eco ficou conhecido como crítico, semiólogo, romancista e articulista. Propôs teorias estéticas e uma avaliação das vanguardas e dos impactos da sociedade globalizada e de informação na cultura humana. Entre suas obras ensaísticas destacam-se: Kant e o ornitorrinco (1997) e Sobre a literatura (2002). Entre suas coletâneas, ressaltam-se: Diário mínimo (1963) e O segundo diário mínimo (1990). Em 1980 estreou na ficção com O nome da rosa (Prêmio Strega 1981), que deu origem ao filme de mesmo nome. Em seguida vieram O pêndulo de Foucault (1988), Baudolino (2000), História da beleza (2004), História da feiúra (2007), entre outros. Faleceu em 19 de fevereiro de 2016.