A estrutura social de uma área urbana pobre e degradada

Em fevereiro de 1937, o então jovem economista William Foote Whyte, com uma bolsa de iniciação de Harvard, decidiu estudar um bairro italiano pobre de Boston, a que deu o nome de Cornerville. Um clássico da pesquisa sociológica, o trabalho de Whyte sobre Cornerville tem servido como modelo para a etnografia urbana há quase 70 anos. Utilizando o método de observação participante, o autor revela um mundo de intrincadas relações sociais, considerando pessoas e situações reais. Com seu olhar profundo e detalhista, Whyte mudou a maneira de se compreender a pobreza e a vida nas grandes cidades.A versão ora lançada no Brasil é traduzida da edição comemorativa de 50 anos de Sociedade de esquina. Nela o leitor encontra a obra original enriquecida com os anexos posteriormente elaborados pelo autor; as respostas que formulou às críticas que recebeu; uma seção sobre “Cornerville revisitado”, em que segue a carreira de alguns dos personagens principais do livro; um corajoso comentário que fez do livro meio século depois. De suma importância também é o depoimento de um dos “rapazes de esquina”, Angelo Orlandella, a respeito do impacto da obra de Whyte sobre sua vida, incluído igualmente nessa edição.“Um livro de impressionante atualidade e de alto interesse interdisciplinar. É um exemplo magistral de como um trabalho de investigação científica pode ser um instrumento precioso para a crítica de estereótipos e preconceitos.” Gilberto Velho

Ed. Zahar - 392 pág. - brochura

SOCIEDADE DE ESQUINA - William Foote Whyte

R$63,92
Esgotado
SOCIEDADE DE ESQUINA - William Foote Whyte R$63,92

A estrutura social de uma área urbana pobre e degradada

Em fevereiro de 1937, o então jovem economista William Foote Whyte, com uma bolsa de iniciação de Harvard, decidiu estudar um bairro italiano pobre de Boston, a que deu o nome de Cornerville. Um clássico da pesquisa sociológica, o trabalho de Whyte sobre Cornerville tem servido como modelo para a etnografia urbana há quase 70 anos. Utilizando o método de observação participante, o autor revela um mundo de intrincadas relações sociais, considerando pessoas e situações reais. Com seu olhar profundo e detalhista, Whyte mudou a maneira de se compreender a pobreza e a vida nas grandes cidades.A versão ora lançada no Brasil é traduzida da edição comemorativa de 50 anos de Sociedade de esquina. Nela o leitor encontra a obra original enriquecida com os anexos posteriormente elaborados pelo autor; as respostas que formulou às críticas que recebeu; uma seção sobre “Cornerville revisitado”, em que segue a carreira de alguns dos personagens principais do livro; um corajoso comentário que fez do livro meio século depois. De suma importância também é o depoimento de um dos “rapazes de esquina”, Angelo Orlandella, a respeito do impacto da obra de Whyte sobre sua vida, incluído igualmente nessa edição.“Um livro de impressionante atualidade e de alto interesse interdisciplinar. É um exemplo magistral de como um trabalho de investigação científica pode ser um instrumento precioso para a crítica de estereótipos e preconceitos.” Gilberto Velho

Ed. Zahar - 392 pág. - brochura