"Na Rúsia, todo mundo sempre acreditou em milagres. Antes de 1917, era o Miraculoso Czar. Sob a União Soviética, era a Coletividade Miraculosa. Hoje, não temos mais operários do milagre". A frase, dita por um psiquiatra de São Petersburgo ao jornalista norte-americano Adrew Meier, é um emblema da paisagem devastada que se abre diante do leitor de Terra negra.
Esse país continental, que está no coração dos acontecimentos mais importantes da história recente (desde a revolução comunista e a Segunda Guerra até a Guerra Fria e a queda do muro de Berlim), é também aquele que melhor expressa os traumas de uma era pós-utópia, marcada pela globalização selvagem, pela eclosão dos fundamentalismos religiosos e pela transformação dos Estados nacionais em instrumento de máfias econômicas.
Terra negra traz todas as nuances socioculturais da Rússia pós-sociética, porém sob o olhar de quem teve um contato apaixonado com as personagens de seu cotidiano. Andew Meier viveu no país como estudante, durante os momentos terminais do governo Gorbatchev, e como correspondente da revista Time no período em que a Guerra da Tchetchênia atravessava seus momentos mais sangrentos.
O resultado é um afresco histórico que alia precisão analítica a uma sensibilidade romanesca para as vidas torturadas que Meier encontrou nas viagens que o levaram de regiões conflagradas do Cáucaso até a tundra siberiana e as ilhas Sakalina.

Ed.Globo - 595 pág. - brochura

 

TERRA NEGRA: UMA VIAGEM PELA RUSSIA POS-COMUNISTA

R$58,00 R$52,20
Frete grátis
TERRA NEGRA: UMA VIAGEM PELA RUSSIA POS-COMUNISTA R$52,20

"Na Rúsia, todo mundo sempre acreditou em milagres. Antes de 1917, era o Miraculoso Czar. Sob a União Soviética, era a Coletividade Miraculosa. Hoje, não temos mais operários do milagre". A frase, dita por um psiquiatra de São Petersburgo ao jornalista norte-americano Adrew Meier, é um emblema da paisagem devastada que se abre diante do leitor de Terra negra.
Esse país continental, que está no coração dos acontecimentos mais importantes da história recente (desde a revolução comunista e a Segunda Guerra até a Guerra Fria e a queda do muro de Berlim), é também aquele que melhor expressa os traumas de uma era pós-utópia, marcada pela globalização selvagem, pela eclosão dos fundamentalismos religiosos e pela transformação dos Estados nacionais em instrumento de máfias econômicas.
Terra negra traz todas as nuances socioculturais da Rússia pós-sociética, porém sob o olhar de quem teve um contato apaixonado com as personagens de seu cotidiano. Andew Meier viveu no país como estudante, durante os momentos terminais do governo Gorbatchev, e como correspondente da revista Time no período em que a Guerra da Tchetchênia atravessava seus momentos mais sangrentos.
O resultado é um afresco histórico que alia precisão analítica a uma sensibilidade romanesca para as vidas torturadas que Meier encontrou nas viagens que o levaram de regiões conflagradas do Cáucaso até a tundra siberiana e as ilhas Sakalina.

Ed.Globo - 595 pág. - brochura